França vai estender subsídio para bicicletas até março de 2021

Mais de 1 milhão de ciclistas franceses utilizaram o subsídio de 50 euros (R$ 300) para consertar suas bicicletas usadas, como parte das medidas de combate à pandemia do coronavírus, e agora o governo quer que mais pessoas tenham acesso a essas bikes. Por isso, o benefício será estendido até março de 2021, segundo informações da agência Reuters.

A ideia é encorajar os franceses a escolher a bicicleta para se locomover após o afrouxamento do bloqueio imposto durante a segunda onda da pandemia no país. De acordo com a ministra do Meio Ambiente da França, Barbara Pompili, metade das pessoas que tiveram suas bicicletas consertadas raramente pedalavam antes. A iniciativa colocou 500 mil pessoas de volta ao pedal, mas esse número equivale a apenas 3% da população. Então, o objetivo do governo é triplicá-lo.

Como funciona o subsídio para bicicletas?

O proprietário precisa visitar o site coupdepoucevelo.fr para escolher aonde vai levar sua bicicleta para consertar usando o mapa interativo que lista todas as lojas certificadas que oferecem o serviço. O bônus de 50 euros só pode ser usado uma vez.

Ao marcar o conserto, é preciso fornecer nome completo, data de nascimento e número de telefone. Após o cadastro, uma mensagem de texto é recebida, confirmando o conserto. O bônus é descontado automaticamente no momento do pagamento e aparece no seu recibo.

Uma gama de serviços bastante ampla pode ser paga com o benefício, desde a troca de pneus até o conserto de freios. Acessórios de segurança, como fechaduras, colete refletivo, capacete e lâmpadas, não são cobertos.

Em entrevista para a Reuters, o chefe da federação francesa de ciclismo, Olivier Schneider, disse que há de 25 a 40 milhões de bicicletas na França, mas cerca de 15 milhões delas estão em mau estado de conservação.

“Há uma enorme demanda por bicicletas novas em todo o mundo e elas podem ser difíceis de encontrar. Então, o esquema de subsídio para reparos é uma ótima maneira de colocar as bicicletas velhas na pista novamente”, ressaltou Schneider.

Cidades bike friendly

Segundo reportagem do site The Local FR, autoridades em toda a França se esforçam para tornar Paris e outras regiões em cidades bike friendly. Centenas de faixas de tráfego foram transformadas em ciclovias protegidas, chamadas de “coronapistas”, para incentivar o aumento do uso das bicicletas desde o primeiro bloqueio em maio. Desde então, o uso de ciclovias aumentou 30% durante o verão europeu em comparação com o mesmo período do ano passado.

As cidades da França querem ser cada vez mais bike friendly. Além do subsídio, centenas de faixas de tráfego foram transformadas em ciclovias protegidas (Foto: Shutterstock)

 

Cerca de 80 milhões de euros (aproximadamente R$ 490 milhões) serão gastos com subsídios à medida que as autoridades tentarão reduzir a dependência do transporte público com o objetivo de diminuir o contágio pelo coronavírus.

Aproximadamente 200 milhões de euros (mais de R$ 1,2 bilhão) também serão gastos como parte do plano de recuperação econômica de 100 bilhões de euros (cerca de R$ 612 milhões) da França, para construir vagas de estacionamento seguras em estações de trem e financiar 600 novas ciclovias nos próximos dois anos.
A ministra do meio ambiente também anunciou um investimento de 30 milhões de euros (cerca de R$ 192 milhões) em três anos para incentivar os empregadores a melhorar as instalações de ciclismo, com financiamento para 20 mil vagas de bicicletários seguros.

Fontes: Agência Reuters

Fechar Menu